Percepção local acerca da aplicabilidade do Ecoturismo de Base Comunitária na RESEX Corumbau (BA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2020.v13.10727

Palavras-chave:

Economia Solidária, Sustentabilidade, Ecoturismo de Base Comunitária

Resumo

A Reserva Extrativista (RESEX) Corumbau foi criada no ano de 2000, está localizada na região do extremo-sul do Estado da Bahia é considerada uma área de extrema importância para conservação ambiental, devido a sua proximidade com a zona de maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul.  A inserção do turismo, que ocorre na região desde os anos de 1970, tem ocasionado a substituição das atividades tradicionais, como no caso da pesca artesanal, e da agricultura de subsistência. Uma alternativa que se vislumbra para a região é a implementação do Ecoturismo de Base Comunitária. No presente estudo foram realizadas 3 oficinas  em Cumuruxatiba, Corumbau, e Bujigão-Caraíva, cada uma com 3 momentos didáticos distintos, nos quais foram recolhidos dos participantes os principais aspectos culturais e ambientais, elaborado de forma participativa, que permitiu identificar o que a comunidade tem a oferecer como atrativos, suas relevâncias e diferenciais. Utilizando-se da metodologia de análise de conteúdo, foi possível observar e agrupar as 7 principais categorias de percepção dos comunitários: a) impactos do turismo sobre o patrimônio natural, com a extração indevida de recursos das unidades de conservação; b) questão fundiária e disputa por território; c) “invasão” de empreendedores e visitantes externos às comunidades; d) desunião dos comunitários e individualismo nas relações de trabalho com o turismo. e) manutenção das culturas locais, com forte enraizamento e desejo de resgate e manutenção de modos de vida e cultura ancestrais; f) fraqueza nos arranjos institucionais formais; e g) potencialidade de parcerias com outros segmentos. Por fim, o levantamento de caráter exploratório, revelou os atrativos mais relevantes da RESEX do ponto de vista das comunidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zysman Neiman, Universidade Federal de São Paulo, Diadema/SP

Doutor em Psicologia (Psicologia Experimental com pesquisa em Educação Ambiental) (2007), passagem pelo programa de doutorado em Ciência Ambiental (2000-2004), mestre em Psicologia (Psicologia Experimental, com ênfase em Ecologia Comportamental) (1991), Licenciado em Ciências (1986), Licenciado em Biologia (1986), e Bacharel em Ciências Biológicas (1986), todos pela Universidade de São Paulo. Atualmente é Pesquisador e Professor Adjunto da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), atuando como vice-coordenador e professor no curso de Bacharelado em Ciências Ambientais. Teve grande atuação como Educador no Ensino de Ciências e Biologia (1985-1996). Foi Professor Adjunto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) lotado no Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade (CCTS), onde coordenou o Laboratório de Ecologia, Percepção e Educação Ambiental - LEPEA. Foi Vice-Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade na Gestão Ambiental - PROSGAM-UFSCar, onde atualmente é docente e pesquisador. Também atua no Programa de Pós-Graduação em Educação do CCTS - UFSCar. Exerceu a função de Presidente do Instituto Physis - Cultura & Ambiente, é líder da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS), e é Diretor da Sociedade Brasileira de Ecoturismo (SBEcotur), uma entidade científica. Foi um dos redatores do Tema Transversal "Meio Ambiente", dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) para o Ensino Fundamental do MEC (1998). É autor de diversos livros na área de Ecologia, Educação, Meio Ambiente e Sustentabilidade, e é Editor Chefe da Revista Brasileira de Ecoturismo (Qualis B1). Tem experiência na área de Ecologia Humana, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Ambiental, Unidades de Conservação, Sustentabilidade, Percepção Ambiental, Ética e Meio Ambiente, Terceiro Setor, Ambientalismo, e Ecoturismo.

Juliana Maria de Barros-Freire, Universidade Federal de São Paulo, Diadema, SP

Mestre em Ciências, pelo Programa de Pós-Graduação Análise Ambiental Integrada - Unifesp, Diadema/Baixada Santista.

Referências

BACAL, S.S.; MIRANDA, S.M.A. Impacto do turismo nos núcleos receptores: necessidade de normalização. São Paulo: Hucitec, 1997.

CARVALHO, J.A.; KNOX, W. O mar não está para peixe: conflitos socioambientais na Reserva Extrativista Marinha do Corumbau. Anais da 29ª Reunião Brasileira de Antropologia, Natal/RN, agosto de 2014.

ESPÍNOLA, R.; ANDRADE, M. Turismo em comunidades tradicionais: dilemas e perspectivas no município de Conde-PB. In: GONÇALVES, A.; RODRIGUES, L. (Org.). Políticas de turismo, ambiente e desenvolvimento. João Pessoa, PB: Ed. UFPB, 2015. (Vol. 3, Série Pesquisa Prodema).

FARIA, D.M.C.P. Impacto do turismo em um destino a partir da perspectiva da economia convencional e ecológica. Observatório de Inovação do Turismo – Revista Acadêmica. Volume II – Número 3 . Setembro de 2007

FREITAS, T.P.; MATTOS, Y. Impactos culturais do turismo: contradições e paradoxos – estudo de caso com os Índios Pataxó de Porto Seguro e Santa Cruz de Cabrália BA. Revista Eletrônica de Turismo Cultural, v. 3, n. 1, p. 117-23, 2009.

GRÜNEWALD, R.A. A Coroa Vermelha no imaginário indígena e brasileiro. Anais da 22a Reunião Brasileira de Antropologia. Fórum de Pesquisa 2: “O imaginário brasileiro”. Brasília, 2000.

HOLANDA, L.A. Empresarização do turismo de base comunitária. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 16, n. 2, p. 249-262, ago. 2016.

IRVING, M.A. Reinventando a reflexão sobre turismo de base comunitária: inovar é possível? In: BARTHOLO, R.; SANSOLO, D.G.; BURSZTYN, I. Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Letra e Imagem, 2009. P. 108-121.

KASHIMOTO, E.M.; MARINHO, M.; RUSSEFF, I. Cultura, identidade e desenvolvimento local: conceitos e perspectivas para regiões em desenvolvimento. Interações: Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, MS, v. 3, n. 4, p. 35-42, mar. 2002.

LOZADA, L. Serviços ecossistêmicos e interações com uma comunidade afrodescendente no Pacífico colombiano: dos riscos à proteção da biodiversidade. 2017. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, 2017.

MALDONADO, C. O turismo rural comunitário na América Latina: gênesis, características e políticas. In: BARTHOLO, R.; SANSOLO, D.G.; BURSZTYN, I. Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Letra e Imagem, 2009. P. 25-44.

RIBEIRO, L.M.; TIMÓTEO, A. A Adoção dos Controles Internos em uma Organização do Terceiro Setor como Sustentabilidade Econômica: Um Estudo de Caso em uma Associação de Minas Gerais. Revista Contemporânea de Contabilidade. UFSC, Florianópolis, v.9, n.17, p.61-82, 2012.

SANSOLO, D.G.; BURSZTYN, I. Turismo de base comunitária: pontencialidade no espaço rural brasileiro. In: BARTHOLO, R.; SANSOLO, D.G.; BURSZTYN, I. Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Letra e Imagem, 2009. P. 142-161.

SCHORE, C. Comunidade. In: OUTWHAITE, W.; BOTTOMORE, T. Dicionário do Pensamento Social do século XX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1996, p. 115-117.

Downloads

Publicado

07/16/2020

Como Citar

Neiman, Z., & Barros-Freire, J. M. de. (2020). Percepção local acerca da aplicabilidade do Ecoturismo de Base Comunitária na RESEX Corumbau (BA). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 13(3). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2020.v13.10727
Recebido: 2020-06-03
Aceito: 2020-07-16
Publicado: 2020-07-16

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 > >>