Impacto do voluntariado em Unidades de Conservação estaduais de Minas Gerais

Autores

  • Elisangela Cristina da Silva Costa IFMG - Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais https://orcid.org/0009-0001-2259-2241
  • Cristiane Fróes Soares dos Santos IFMG - Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais
  • Jaciely Gabriela Melo Silva UFSCar - Universidade Federal de São Carlos- Sorocaba
  • Patrícia Pereira Gomes IFMG- Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2024.v17.15039

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Gestão democrática;, Sustentabilidade

Resumo

As Unidades de Conservação são espaços naturais delimitados e instituídos pelo poder público, com características ambientais relevantes, objetivando a conservação ambiental. Os recursos financeiros e humanos, além da burocracia na gestão destas áreas, dificultam os cumprimentos das funções ecológicas e sociais desses ecossistemas. O trabalho voluntário nestas unidades pode, portanto, favorecer a democratização da gestão destas áreas, envolvendo a população na conservação dos recursos naturais de forma consciente e espontânea. O objetivo deste estudo foi avaliar a interface da implementação do programa de voluntariado nas Unidades de Conservação de Minas Gerais, a partir da análise do perfil e satisfação dos voluntários. A realização deste estudo foi feita por meio de pesquisa qualitativa-descritiva, com interpretação e descrição dos dados observados. Observou-se que o Parque Estadual do Rio Doce e o Parque Estadual Mata do Limoeiro foram os que se destacaram com o maior número de voluntários inscritos, seguidos do Parque Estadual do Ibitipoca. Os resultados mostraram os diferentes perfis dos voluntários que participaram efetivamente dos programas, sendo a maioria formada por pessoas jovens, em especial estudantes universitários e profissionais das áreas de ciências ambientais ou sociais. Observou-se também que a participação da comunidade do entorno dos parques ainda é muito baixa. Sendo assim, é possível inferir que os programas de voluntariado em Unidades de Conservação geram impactos positivos nas dimensões ambientais, sociais, econômicos, tanto para as Unidades de Conservação quanto para as comunidades do entorno. Além disso, esses programas podem promover a inserção da sociedade na gestão das unidades bem com sua aproximação com o meio ambiente e comunidades locais, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável dessas áreas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUGUSTO, C. A. et al. Pesquisa Qualitativa: Rigor metodológico no tratamento da teoria dos custos de transação em artigos apresentados nos congressos da Sober (2007-2011). Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 51, n. 4, p. 745–764, 2013.

AMADOR A.B.; PALMA L.M. Dez anos do Programa de Voluntários do Parque Nacional da Tijuca, RJ. Revista Uso Público em Unidades de Conservação, v.1, nº 2, Niterói/RJ, 2013. Disponível em: <http://www.periodicos.uff.br/uso_publico>. Acessado em 14 de março de 2023.

BRASIL. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Lei 9.985 de 18 de julho de 2000. Ministério do Meio ambiente, 2ª ed. Brasília.

DIAS, L. S.; GOUVEIA, J. M. C.; CHÁVEZ, E. S. Biogeografia e Paisagem. Tupã/ SP: Unesp ed., 2020.

GODOY, A. S. Introdução a pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Uma revisão histórica dos principais autores e obras que refletem esta metodologia de pesquisa em Ciências Sociais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57–63, 1995.

HERLIHY, A. T. et al. Striving for consistency in a national assessment: The challenges of applying a reference-condition approach at a continental scale. Journal of the North American Benthological Society, v. 27, n. 4, p. 860–877, 2008.

IEF. Parque Estadual do Ibitipoca. Disponível em: <http://www.ief.mg.gov.br/parque-estadual>. Acesso em: 27 mar. 2023.

IEF. Portaria IEF n°67 de 1º de julho de 2019. Belo Horizonte, 2019ª.

IEF. Manual de Voluntariado nas Unidades de Conservação. (Não publicado), 2019b.

IEF. Relatório Programa de Voluntariado nas Unidades de Conservação Estaduais - 2019 a 2021. (Não publicado), 2021.

LADEIRA, A. S. et al. O perfil dos visitantes do Parque Estadual do Ibitipoca (PEIb), Lima Duarte, MG. Revista Arvore, v. 31, n. 6, p. 1091–1098, 2007.

MACEDO, A. J. Z. R. Solidariedade e Voluntariado: uma relação necessária.

128 p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Educação) – Universidade Católica Portuguesa, Porto, 2011.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Dez anos do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza: lições do passado, realizações presentes e perspectivas para o futuro. Brasília: MMA, 2011. 220 p.

MORO, I.P.; MAGALHÃES, M.V.D.; PEIXOTO, P.M.C. (2021). Perfil dos voluntários em Unidades de Conservação do Espírito Santo e o papel para promoção de Educação Ambiental. Revista Multidisciplinar de Educação e Meio Ambiente, v.2, n.3, 2021.

NASCIMENTO, H.H.O. Agente voluntário ambiental: Um instrumento de gestão para as Unidades de Conservação do Ceará. Revista Uso Público em Unidades de Conservação, v.5, nº 9, Niterói/RJ, 2017.

ONU El lazo que nos une: Voluntariado y resiliencia comunitaria. Informe sobre el estado del voluntariado en el mundo 2018. Programa de Voluntarios de las Naciones Unidas, 2018, 144 p.

RABINOVICI, A. Organizações não governamentais e turismo sustentável:

trilhando conceitos de participação e conflitos. 2009. 311 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, SP. Disponível em:

<http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280526> Acesso em

fev. 2024.

RABINOVICI, A.; LENCI, F.S. Turismo de Voluntariado: contradições e dilemas. Diadema: V&V Editora, 2022.

SEMEIA. Diagnóstico do uso público em parques brasileiros: a perspectiva dos gestores, 2021, 81 p.

SILVEIRA, S.V. et al. Programa voluntariado em Unidades de Conservação: Apontamentos para avaliação da implementação na rota das emoções. Anais da X Jornada Internacional de Políticas Públicas, 2021.

VALLEJO, L.R. Uso público em áreas protegidas: Atores, impactos, diretrizes de planejamento e gestão. Anais do Uso Público em Unidades de Conservação, v. 1, p. 13–26, 2013.

Downloads

Publicado

05/02/2024

Como Citar

Costa, E. C. da S., Santos , C. F. S. dos, Silva , J. G. M., & Gomes , P. P. (2024). Impacto do voluntariado em Unidades de Conservação estaduais de Minas Gerais. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 17(2). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2024.v17.15039

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2023-05-02
Aceito: 2024-01-17
Publicado: 2024-05-02

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.