Percepção de trabalhadores do turismo sobre o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Autores

  • Lucas Nunes Sousa Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão, Campus Barreirinhas
  • Éville Karina Maciel Delgado Ribeiro-Novaes Intituto Federal do Maranhão, Campus Barreirnhas. https://orcid.org/0000-0003-0906-8100

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2024.v17.15242

Palavras-chave:

Ecoturismo; Unidade de conservação; Capacitação.

Resumo

Os trabalhadores do turismo do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses são peças-chaves para contribuir para proteção e conservação ambiental do seu local de atuação. Um estudo realizado em 2013 detectou que 53,8% das pessoas que trabalhavam com ecoturismo na região mal sabiam o objetivo da criação de parques nacionais, e grande parte não possuía nenhum curso preparatório voltado para o turismo. Sendo assim, este trabalho visa conhecer a percepção atual das pessoas que trabalham com o ecoturismo nos municípios que fazem parte do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz). A pesquisa foi realizada por meio de questionário online, elaborado no aplicativo Google forms, disponibilizado de junho a novembro de 2021. Identificamos o perfil dos entrevistados, segundo características como: origem, faixa etária, sexo, profissão, escolaridade, aspectos pessoais da opinião em relação ao PNLM e questões relacionadas ao turismo, treinamento de pessoas e os benefícios acerca desta prática. Verificou-se, após 7 anos, houve aumento da escolaridade, e do conhecimento sobre o PNLM, porém 43,6% ainda não souberam assinalar o objetivo de sua criação. Apesar de um aumento no número percentual de acertos em relação à pesquisa anterior, ainda existe muito a ser melhorado, tendo em vista que os entrevistados estão diretamente em contato com os visitantes. A partir desses dados fica evidente a necessidade de realizar capacitações voltadas para o conhecimento básico sobre a Unidade de Conservação em que os condutores atuam, que poderia ser resolvido caso houvesse o cumprimento das exigências da Portaria nº 769 em que os conteúdos sejam voltados diretamente para a realidade de cada Unidade de Conservação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, M. E. O.; ESSI, L. 2013. Educação Ambiental: recuperação e conservação de áreas de preservação permanente de Palmeira das Missões e região. Revista Educação Ambiental em Ação, n.45, 2018.

BARZETTI, V. Parques Y Progreso - Áreas Protegidas y Desarollo Economico en America Latina y Caribe. Washington: La Union Mundial para la Naturaleza (UICN), Banco Interamericano de Desarollo (BID), 1993.

BRAMBILLA, M. Percepção ambiental de produtores rurais sobre o Parque Nacional da Serra da Bodoquena (MS) na perspectiva do desenvolvimento local. Campo Grande: Universidade Católica Dom Bosco–Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento Local, 2007.

BRASIL, Ministério do Turismo. Estudo da Demanda Turística Internacional - 2018. Brasília: Ministério do Turismo, fevereiro de 2018.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza: Lei nº 9985 de 18 de julho de 2000. Brasília: MMA/SBF, 2000.

BRASIL. Portaria nº 769, de 10 de dezembro de 2019. Dispõe sobre normas e procedimentos administrativos para Autorização da prestação do serviço de condução de visitantes em Unidades de Conservação federais. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, edição 240,p 130. 12 dez. 2019. Seção 1, pt

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 59.566 de 14 de novembro de 1966. Regulamenta as Seções I, II e III do Capítulo IV do Título III da Lei nº 4.504, de 30 de novembro de 1964, Estatuto da Terra, o Capítulo III da Lei nº 4.947, de 6 de abril de 1966, e dá outras providências. Disponível em: Acesso em 16 Jan 2022.

CALDAS, E. S E RIBEIRO-NOVAES, E. K. M. D. Percepções da População de Barreirinhas – Maranhão Sobre o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. In: Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses em 10 anos do IFMA Campus Barreirinhas. Editora CRV, 2021.

CALDAS, E. S.; DIAS, H. C.; LEAL, T. T. J. ; RIBEIRO, E. K. M. D. . Percepções Da Comunidade Que Trabalha Com Ecoturismo Em Barreirinhas? Maranhão Sobre O Parque Nacional Dos Lençóis Maranhenses. In: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia. (Org.). VIII CONNEPI - Congresso norte nordeste de pesquisa e inovação: anais. 8 ed.Bahia: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, 2013, v. único, p. 1-9.

CANTO-SILVA, C.R.; SILVA, J.S. Panorama da visitação e da condução de visitantes em Parques brasileiros. Rev. Bras. Pesq. Tur., São Paulo, v. 11, n. 2, p. 365-386, agosto 2017.

CARVALHO, A. P.; RODRIGUES, M. A. N. Percepção ambiental de moradores no entorno do açude Soledade no estado da Paraíba. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, v. 19, n. 3, p. 25-35, set/dez. 2015.

CARVALHO, R. C. Turismo nos Lençóis Maranhenses: estudo das representações sociais de atores sobre a situação atual e futura do turismo nos municípios de Barreirinhas e Santo Amaro do Maranhão, MA. (Tese – Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) Universidade de Brasília, 2007.

CASTRO, C.A.T.; ARROXELAS GALVÃO, P.L.; BINFARÉ, P.W. Fatores que influenciam a demanda por qualificação profissional para o desenvolvimento do ecoturismo no Brasil. Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 11, n. 4, 2018.

CASTRO, I.S. Impactos ambientais da atividade turística no município de barreirinhas – ma: percepção de usuários e moradores. Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas) – Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão, Campus Barreirinhas. Maranhão, 2021.

COTES, M. et al. Perfil de condutores de trilhas de longa duração em parques nacionais brasileiros. RBCM, v. 26, n. 1, p. 167-177, 2018.

CUNHA, A.S; LEITE, E.B. Percepção Ambiental: Implicações para a Educação Ambiental. Sinapse Ambiental, p. 66-79. Set. 2009.

CUNHA, H. F. et al. Conhecimento empírico dos moradores da comunidade do entorno do Parque Municipal da Cachoeirinha (Iporá-Goiás). Acta cientiarum. Biological Sciences, n. 2, v. 29, 2007. p. 203-212

DA SILVA COELHO, B.H. Evolução histórica e tendências das áreas naturais protegidas: de sítios sagrados aos mosaicos de Unidades de Conservação, 2018.

DAVIDOFF, L F. Introdução à psicologia. São Paulo: McGraw – Hill do Brasil, 1983.

DE CASTRO, C. E. Avaliação de uso público das áreas das Lagoas Azul e Bonita – Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, v.6, n.3, 2010.

DE OLIVEIRA, C.F. Ecoturismo como prática para o desenvolvimento socioambiental. Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 4, n. 2, 2011.

DEL RIO, V.; OLIVEIRA, L. Percepção ambiental: a experiência brasileira. São Paulo e São Carlos: Editora Nobel e Editora UFSCar, 1997.

FERREIRA, N.P. Análise da percepção ambiental e da qualidade da experiência do visitante no uso de uma Unidade de Conservação: Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Orientadora: Rosélis Barbosa Câmara. 2013. 112 f. TCC (Graduação) – Curso de Turismo, Centro de Ciências Sociais, Universidade Federal do Maranhão, Maranhão, 2013. Disponível em: <https://sigaa.ufma.br/sigaa/verProducao?idProducao=972155&key=43c5c712a3993d416a656139c998fbc8>. Acesso em: 21 Jan. 2022.

FRANCO. A. R; MORAIS. G. A. C; NETO. J. D; LOPES. J. C. C; LEUCAS. H. L. B; GUADALUPE. D. C; BARROS. M. D. M. Estudo De Percepção Ambiental Com Alunos De Escola Municipal Localizada No Entorno Do Parque Estadual Da Serra Do Rola-Moça. Revista Ambiente & Educação, v.17, n.1, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREITAS, J. R. S.R; MAIA, K.M.P. Um estudo da Percepção Ambiental entre alunos do Ensino de Jovens e Adultos e 1º ano do ensino médio da fundação de ensino de Contagem (FUNEC)- MG. Sinapse Ambiental, p. 52-77, dez. 2009.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA, 2008.

GONÇALVES, N. M; HOEFFEL, J. L. M. Percepção ambiental sobre Unidades de Conservação: os conflitos em torno do parque estadual de Itapetinga – SP, Revista VITAS – Visões Transdisciplinares sobre Ambiente e Sociedade, n 3. 2012.

ICMBIO. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Plano de manejo do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, 2022.

ICMBIO.Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. UCs federais registram mais de 15 milhões de visitas em 2019. 15 de Junho de 2020. Disponível em: <https://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/11139-ucs-federais-registram-15-milhoes-de-visitas-em-2019>. Acessado em: 15 de Jan de 2022.

KUNDLATSCH. C.A.; MOREIRA. J.C. A percepção ambiental no Parque Ecoturístico Municipal São Luis de Tolosa em Rio Negro – PR. Cad. Est. Pes. Tur. Curitiba, v.5, nº 6, p. 22-41, jan/jun. 2016.

MANETTA, B.R. et al. Unidades de Conservação. Engenharias On-line, v. 1, n. 2, p. 1-10, 2015.

MARCZWSKI, M. Avaliação da Percepção ambiental em uma População de estudantes do Ensino Fundamental de uma Escola Municipal Rural: Estudo de Caso. Dissertação Apresentada ao Programa de Pós-graduação em Ecologia, do Instituto de Biociência da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Outubro de 2006.

McCLELLAND, L. F. Park Architecture, Landscape Naturalization, and Campground Development. In: McCLELLAND, L. F. Buildind the National Parks: Historic Landscape Design and Construction.London: Baltimore, 1998.

MEDINA, N. M.; SANTOS, E. C. Educação Ambiental: Uma metodologia participativa de formação. Petrópoles: Editora Vozes, 2001.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA); INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (IBAMA). Plano de Manejo do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. São Luís, 2003.

MIRANDA, D.J.P. Educação e percepção ambiental: o despertar consciente do saber ambiental para a ação do homem na natureza. Revista Eletrônica de Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 19, p. 157-164, 2007.

MOREIRA, J. C. Patrimônio geológico em Unidades de Conservação: atividades interpretativas, educativas e geoturísticas. (Tese – Doutorado em Geografia) Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

O que é o SNUC. Dicionário Ambiental. ((o)) eco, Rio de Janeiro, abr. 2014. Disponível em: <http://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/28223-o-que-e-o-snuc/>. Acesso em: 19 de janeiro de 2022.

PACHECO, E; SILVA, H. P. Compromisso Epistemológico do Conceito de Percepção Ambiental. Rio de Janeiro: Departamento de Antropologia, Museu Nacional e Programa EICOS/UFRJ, 2006.

PEREIRA, G. S.; SOUZA, C. G.; SOUZA, J. P. Subsídios para Projetos de Educação Ambiental na Ilha da Marambaia - RJ. Anais do II Congresso Mundial de Educação Ambiental. Rio de Janeiro, setembro, 2004.

REIS, S.L.N.; RIBEIRO, É.K.M.D. Percepções da População De Barreirinhas – Maranhão (Sede e Povoados) Sobre o Parque Nacional Dos Lençóis Maranhenses. (Relatório do Projeto – Iniciação Científica Junior). Universidade Federal do Maranhão. 2014.

RIBAS, L.C.C.; HICKENBICK, C. O Papel de condutores ambientais locais e de cursos de capacitação no ecodesenvolvimento turístico e as expectativas sociais no sul do Brasil. Revista Turismo em Análise, v. 23, n. 1, p. 143-165, 2012.

SALDANHA, M.A. et al. Diagnóstico do emprego turístico gerado na cidade de Barreirinhas (MA). Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 10, n. 2, 2017.

SILVA M. L. A; PAIVA L. S; ARAÚJO M. F. V; CONCEIÇÃO G. M. Percepção ambiental dos moradores do Parque Nacional da Chapada das Mesas, no domínio fitogeográfico do Cerrado Brasileiro. Revista Espacios, v.38, n.22, 2017.

SILVA, D. L. B. Turismo em Unidades de Conservação: contribuições para a prática de uma atividade turística sustentável no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. (Dissertação – Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) Universidade de Brasília, 2008.

SILVA, J.B.; PASQUALETTO, A. O caminho dos parques urbanos brasileiros: da origem ao século XXI. Revista EVS-Revista de Ciências Ambientais e Saúde, v. 40, n. 3, p. 287-298, 2013.

TELLES, M. Q.; ROCHA, M. B.; PEDROSO, M. L.; MACHADO, S. M. C. Vivências integradas com o meio ambiente. São Paulo: Sá Editora, 2002.

TERAMUSSI, T. M. Percepção ambiental de estudantes sobre o Parque Ecológico do Tietê. São Paulo, SP. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental, USP, 2008.

TUAN, Y. F. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente.São Paulo: DIFEL. 1980.

Downloads

Publicado

05/02/2024

Como Citar

Sousa, L. N., & Ribeiro-Novaes, Éville K. M. D. (2024). Percepção de trabalhadores do turismo sobre o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 17(2). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2024.v17.15242

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2023-06-22
Aceito: 2024-01-06
Publicado: 2024-05-02

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.