Perfil da visitação na Ilha dos Lençóis, comunidade de pescadores tradicionais, Reserva Extrativista de Cururupu (MA)

Autores

  • Carolina Mattosinho de Carvalho Alvite Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (CR9), Florianópolis, SC
  • Marcelo Derzi Vidal Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT/ICMBio), São Luis, MA
  • Oscar Heriberto Pardinas Borreani Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT/ICMBio), São Luis, MA
  • Eduardo Castro Menezes Borba Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - RESEX Cururupu, São Luis, MA

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2014.v7.6415

Palavras-chave:

Turismo de Base Comunitária, Reservas Extrativistas, Unidades de Conservação.

Resumo

O Brasil, país detentor de grande sociobiodiversidade, aponta como importante destino para a prática do turismo que tem na natureza sua principal motivação. Muitas áreas naturais com rica diversidade biológica e cultural encontram-se em Unidades de Conservação (UC). As Reservas Extrativistas (RESEX), categoria de UC que permite a presença de populações tradicionais em seus limites, amplia o leque de oportunidades de visitação nas áreas protegidas brasileiras, incorporando não apenas o patrimônio natural, mas também o patrimônio cultural e modo de vida das comunidades nelas inseridas. Trata-se do turismo comunitário ou de base comunitária, que representa uma proposta de desenvolvimento territorial sustentável e que abrange diversas dimensões da vida em sociedade. Não é um novo segmento de mercado, mas uma nova forma de “fazer” o turismo, assentado nas relações de hospitalidade, do intercâmbio cultural, do protagonismo e fortalecimento da autoestima das comunidades, e da conservação ambiental como valor intrínseco aos seus modos de vida. A Ilha dos Lençóis abrange uma comunidade de pescadores tradicionais inserida na RESEX de Cururupu, que historicamente tem atraído visitantes devido ao seu rico patrimônio cultural - o imaginário sobre o lugar e seus habitantes revestido da encantaria Sebastiana, e também ao patrimônio natural. O presente artigo buscou definir o perfil da visitação na Ilha dos Lençóis com o intuito de subsidiar a gestão da RESEX. Entre julho de 2011 e agosto de 2013 foram entrevistados 103 visitantes. Esses são em sua maioria brasileiros, com idade entre 30 a 39 anos e alto grau de escolaridade. A organização da viagem se deu predominantemente por conta própria, sendo inexpressiva a participação das agências de turismo. A decisão de conhecer a Ilha foi motivada principalmente pela indicação de amigos e/ou parentes, seguida pela divulgação na mídia. Em sua maioria, os visitantes viajam com amigos ou em casal, em busca de uma opção de lazer. Uma porcentagem expressiva de visitantes busca a Ilha com fins de pesquisa, trabalho ou estudo. Predominaram curtas estadias, embora existam visitantes que tenham permanecido por até 13 dias na comunidade. Os atrativos naturais foram os principais motivadores da visita, seguidos pelo isolamento e tranquilidade do local. Os atrativos culturais também foram aspectos importantes. O perfil dos visitantes encontrado coincide, em alguns aspectos, com pesquisas sobre demanda de iniciativas de turismo de base comunitária no Brasil. O turismo realizado na Ilha tem atendido às expectativas dos visitantes, verificada pela alta satisfação indicada na pesquisa. Profile of visitors of Lençóis Island, community of traditional fishermen, Cururupu Extractive Reserve (MA, Brazil) ABSTRACT Brazil holds a large sociobiodiversity and points out how important for tourism that has its main motivation in nature. Many of the natural areas of rich biological and cultural diversity are in UCs (Conservation Units), the Brazilian term for protected areas. Extractive Reserves (RESEX), UC where presence of traditional populations within their boundaries is allowed, widen the range of opportunities for tourism in the Brazilian protected areas, incorporating both natural and cultural aspects of the communities way of life. This is community tourism or community-based tourism (TBC), which is a proposal for a sustainable territorial development that covers various dimensions of social life. There is not a new market segment, but a new way of "doing” tourism, seated in the relations of hospitality and cultural exchanges besides strengthening the role of self-esteem of communities and environmental conservation as intrinsic to their way of life value. Lençóis Island covers a community of traditional fishermen inserted in RESEX Cururupu, which historically has attracted visitors due to its rich cultural heritage - the imagery of the place and its inhabitants coated “enchant Sebastiana” and also to the rich natural heritage. This paper aims to define the profile of visitation to the Lençóis Island in order to support the management of visitation in RESEX. Between July 2011 and August 2013, 103 visitors were interviewed, mostly of them were Brazilian, aging 30 to 39 years old and highly educated. The organization of the trip occurred predominantly on their own, with negligible participation of tourists agencies. The decision to visit the Island was primarily motivated by friends and/or relatives, followed by media coverage. Mostly visitors traveled with friends or a couple searching for leisure options. A significant percentage of visitors seeking the Island for research purposes, work or study. The predominant schedules were short stays, although there were visitor’s kepting for up to 13 days in the community. The natural attractions were the key drivers of the business, followed by the place isolation, but cultural attractions were important aspects as well. The visitor profile matches those found on demand initiatives researches carried on by TBC in Brazil. The community tourism held on the Island has fulfilled the expectations of visitors, verified by high satisfaction of them. KEYWORDS: Community-based Tourism; Extractive Reserve; Protected Area.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Mattosinho de Carvalho Alvite, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (CR9), Florianópolis, SC

Analista Ambiental 2000 - 2005: Centro Mamíferos Aquáticos/IBAMA - pesquisa com conservação e manejo de mamíferos aquáticos, especialmente peixe-boi-marinho - litoral de Alagoas 2005-2009 - Centro Mamíferos Aquáticos/IBAMA-ICMBio - pesquisa com mamíferos aquáticos, gestão de recursos pesqueiros e criação de UCs. 2009-2010 - Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses/ICMBio - chefia da UC 2010 - 2014 - Centro Nacional de Pesquisa da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT/ICMBio-MA) - pesquisa sobre turismo de base comunitária, plano de ação para conservação de espécies ameaçadas e de importância socioeconômica do ecossistema manguezal. 2014- atual - Coordenação Regional 9/ICMBio (Florianópólis/SC) - colegiado de gestão socioambiental.

Downloads

Publicado

11/30/2014

Como Citar

Alvite, C. M. de C., Vidal, M. D., Borreani, O. H. P., & Borba, E. C. M. (2014). Perfil da visitação na Ilha dos Lençóis, comunidade de pescadores tradicionais, Reserva Extrativista de Cururupu (MA). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 7(4). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2014.v7.6415
Recebido: 2014-06-18
Aceito: 2014-09-03
Publicado: 2014-11-30

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.