Proposta de protocolo de atendimento de musicoterapia para pacientes com doença de Alzheimer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2024.v32.15515

Palavras-chave:

Musicoterapia, Doença de Alzheimer, Demência, Neurociência Cognitiva

Resumo

Introdução. A Doença de Alzheimer (DA) é uma demência caracterizada pela perda cognitiva, motora e social, sendo seus principais sintomas a perda de memória, de noção espacial e temporal, dificuldade na tomada de decisão, mudanças de humor e dificuldade de socialização. Objetivo. Propor um protocolo de atendimento de musicoterapia para pacientes com a DA sob os preceitos da Musicoterapia Neurológica (Neurologic Music Therapy - NMT). todo. O trabalho foi elaborado com base em levantamentos de literatura para a construção de um protocolo de atendimento de musicoterapia para pacientes com DA. Resultados. Com base nos levantamentos feitos, o resultado obtido foi um Protocolo de atendimento Estruturado baseado nas técnicas da NMT. Conclusão. Com base na escassez de estudos na área, o protocolo tem por finalidade ser uma porta para novos estudos e pesquisas a serem desenvolvidas

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Caramelli P, Carvalho VA. Doença de Alzheimer. In: Teixeira AL, Caramelli P (org). Neurologia Cognitiva e do Comportamento. Rio de Janeiro: Thieme Revinter; 2012.

Fagundes TA, Pereira DAG, Bueno KMP, Assis MG. Incapacidade funcional de idosos com demência. Cad Ter Ocup UFSCar 2017;1:159-69. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoAO0818

American Psychiatric Association. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais - 5ª edição (DSM-5). Porto Alegre: Artmed; 2014. http://www.institutopebioetica.com.br/documentos/manual-diagnostico-e-estatistico-de-transtornos-mentais-dsm-5.pdf

Alzheimer´s Association. Alzheimer´s Disease Facts and Figures. Includes a Special Report on the Financial and Personal Benefits of Early Diagnosis. J Alzheimers Assoc 2018;14:367-429. https://doi.org/10.1016/j.jalz.2018.02.001

Sereniki A, Vital M. A doença de Alzheimer: aspectos fisiopatológicos e farmacológicos. Rev Psiquiatr 2008;30(suppl1):1-16. https://doi.org/10.1590/S0101-81082008000200002

Vidal VA, Terradas MR, Vila SMS. ¿Qué aporta la musicoterapia al tratamiento de la Enfermidad de Alzheimer? Ebook; 2015. Disponível em: https://docplayer.es/10188194-Que-aporta-la-musicoterapia-al-tratamiento-de-la-enfermedad-de-alzheimer.html

Izquierdo I. Memória. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2011. https://doi.org/10.1590/1678-7153.201528416

Sternberg RJ. Psicologia Cognitiva. 4ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2016.https://skinnernaveia.files.wordpress.com/2019/08/sternberg._r._j._2008_._psicologia_cogni.pdf

Vieira MMCDS. A doença de Alzheimer e a perda de Olfato (dissertação). Lisboa: Faculdade de Medicina de Lisboa;2020. https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/46992/1/MariaMVieira.pdf

Caetano LAO, Silva FS, Silveira CAB. Alzheimer, sintomas e grupos: uma revisão integrativa. Vínculo 2017;2:84-93. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/vinculo/v14n2/v14n2a10.pdf

Abreu ID, Forlenza OV, Barros HL. Demência de Alzheimer: correlação entre memória e autonomia. Rev Psiquiatr Clín 2005;3:131-6. https://doi.org/10.1590/S0101-60832005000300005

Bertolucci PHF. Doença de Alzheimer: Histórico, Quadro Clínicoe Diagnóstico. In: Caixeta L (org). Demência Abordagem Multidisciplinar. São Paulo: Atheneu, 2006.

Machado JCB. Doença de Alzheimer. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan; 2006; Cap. 25; pp. 261, 264, 265, 273, 274, 278. https://ftramonmartins.files.wordpress.com/2016/09/tratado-de-geriatria-e-gerontologia-3c2aa-ed.pdf

Papaléo NM, Klein EL. Demência I: Epidemiologia, Tipos e Manifestações Clínicas. In: Netto MP (org). Tratado de Gerontologia. 2ª edição. São Paulo: Atheneu; 2007.

Yuaso DR, Sguizzatto GT. Fisioterapia em pacientes idosos. Gerontologia. 2ª edição. São Paulo: Atheneu, 2002.

Lindeboom J, Weinstein H. Neuropsychology of cognitive ageing, minimal cognitive impairment, Alzheimer’s disease, and vascular cognitive impairment. Eur J Pharmacol 2004;490:83-6. https://doi.org/10.1016/j.ejphar.2004.02.046

Priefer BA, Robbins JA. Eating changes in mild-stage Alzheimer’s disease: a pilot study. Dysphagia 1997;4:212-21. https://doi.org/10.1007/PL00009539

Sura L, Madhavan A, Carnaby G, Crary MA. Dysphagia in the elderly: management and nutritional considerations. Clin Interv Aging 2012;7:287-98. https://doi.org/10.2147/CIA.S23404

Correia SM, Morillo LS, Jacob FW, Mansur LL. Swallowing in moderate and severe phases of Alzheimer’s disease. Arq Neuropsiquiatr 2010;6:55-61. https://doi.org/10.1590/s0004-282x2010000600005

Affoo RH, Foley N, Rosenbek J, Shoemaker JK, Martin RE. Swallowing dysfunction and autonomic nervous system dysfunction in Alzheimer’s disease: a scoping review of the evidence. J Am Geriatr Soc 2013;12:2203-13. https://doi.org/10.1111/jgs.12553

Almeida OP, Crocco EI. Percepção dos déficits cognitivos e alterações do comportamento em pacientes com Doença de Alzheimer. Arq Neuropsiquiatr 2000;2:292-9. https://doi.org/10.1590/S0004- 282X2000000200015

Sequeira JA. Tratamento da Doença de Alzheimer: na atualidade e no futuro (Tese). Porto: Universidade Fernando Pessoa;2020. https://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/9552/1/PPG_33877.pdf

Faria LOM, Bella GP. Atualizações no tratamento não-farmacológico da doença de Alzheimer. Fisio Brasil 2009;6:436:41. https://portalatlanticaeditora.com.br/index.php/fisioterapiabrasil/article/view/1583/2724

Smith MPC. Musicoterapia e identidade humana. São Paulo: Memnon; 2010.

Bruscia KE. Definindo musicoterapia. 2ª edição. Rio de Janeiro: Enelivros; 2000.

Brazoloto TM. Intervenções musicais e musicoterapia no tratamento da dor: revisão de literatura. BrJP 2021;4:369-73. https://doi.org/10.5935/2595-0118.20210059

Gallego MG, Garcia JG. Music therapy and Alzheimer's disease: Cognitive, psychological, and behavioural effects. Neurología 2017;5:300-8. https://doi.org/10.1016/j.nrl.2015.12.003

Moreira RL. Ressignificando momentos: a Musicoterapia em centro-dia de idosos (Dissertação). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo;2018.

https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/21169

Ueeda T, Suzukamoa Y, Satoa M, Izumi S. Effects of music therapy on behavioral and psychological symptoms of dementia: A systematic review and meta-analysis. Ageing Res Rev 2013;12:628-41. https://doi.org/10.1016/j.arr.2013.02.003

Thaut MH, Hoemberg V. Handbook of Neurologic Music Therapy. New York: Oxford University Press; 2014.

Basso A, Capitani E, Vignolo LA. Influence of Rehabilitation on Language Skills in Aphasic Patients A Controlled Study. Arch Neural 1979;36:190-6. https://doi.org/10.1001/archneur.1979.00500400044005

Baird A, Samson S. Music and dementia. Prog Brain Res 2015;217:207-35. https://doi.org/10.1016/bs.pbr.2014.11.028

Thaut MH. Rhythm, Music and the Brain. London: Routledge; 2005.

Bunt L, Hoskyns S. The handbook of music therapy. London: Routledge; 2002.

Chaves MLF. Testes de avaliação cognitiva: Mini-Exame do Estado Mental. São Paulo: Academia Brasileira de Neurologia; 2012. http://www.cadastro.abneuro.org/site/arquivos_cont/8.pdf

Atalaia-Silva KC, Lourenço RA. Tradução, adaptação e validação de construto do teste do relógio aplicado entre idosos no Brasil. Rev Saúde Pública 2008;42:930-7. https://doi.org/10.1590/S0034-89102008000500020

Esteves CS, Oliveira CR, Lima MP, Gonzatti V, Irigaray TI. Teste do desenho do relógio: dados normativos para idosos. Psico USF 2018;27:477-87. https://doi.org/10.1590/1413-82712027270306

Sousa ANS, Saraiva MS, Machado TVR, Souza JCP. A utilização da musicoterapia no tratamento de idosos diagnosticados com a doença de Alzheimer. Res Soc Develop 2021;10:1-11. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20010

Junior MPAA, Falcão DVS. Idosos com demência e seus cuidadores: uma revisão da literatura sobre os benefícios da musicoterapia. Braz J Music Ther 2017;19:251-6. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20010

Júlio P. Musicoterapia e demência: intervenção musicoterapêutica em idosos institucionalizados (Dissertação). Lisboa: Universidade Lusíada; 2018. http://hdl.handle.net/11067/3772

Chouinard J. Dysphagia in Alzheimer disease: a review. J Nutr Health Aging 2000;4:214-7. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11115803/

Downloads

Publicado

2024-02-26

Como Citar

Pressi, A., Moreira, R. L., & Melo Ferreira, M. de. (2024). Proposta de protocolo de atendimento de musicoterapia para pacientes com doença de Alzheimer. Revista Neurociências, 32, 1–20. https://doi.org/10.34024/rnc.2024.v32.15515

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido: 2023-08-14
Aceito: 2024-02-20
Publicado: 2024-02-26

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.