Caracterización de la demanda de atención psicológica en la pandemia

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.34024/prometeica.2024.29.16247

Palabras clave:

COVID-19, sufrimiento emocional, teleterapia, marco en psicología, manejo psicológico

Resumen

Caracterizar la demanda de atención psicológica y comprender la experiencia de los profesionales que trabajaron durante la pandemia de COVID-19, en una plataforma de atención psicológica en línea. Se realizó un análisis documental y entrevista semiestructurada a 20 psicólogos que trabajaron al menos 6 meses en la plataforma entre marzo/2020 y diciembre/2022, en los que se atendió un total de 15.963 pacientes. Entre las demandas prevalecieron la ideación suicida con planificación, la ansiedad y la depresión. El perfil prevalente de pacientes atendidos durante la pandemia corresponde a la literatura, en periodos no pandémicos, así como la prevalencia de síntomas ansiosos y depresivos. Sin embargo, destacó la aparición de un elevado número de pacientes con ideación suicida, lo que sugiere un empeoramiento de los trastornos mentales, desencadenado por la pandemia, además de una dificultad común para los entrevistados, relacionada con la claridad de los criterios clínicos utilizados para determinar la gravedad de los casos. Los psicólogos señalaron las dificultades para gestionar estos casos graves, intensificadas por el impacto emocional de la pandemia que también ellos sienten, junto con su falta de preparación para sus actividades en línea, percibiéndolas como limitaciones. A pesar de la falta de preparación, la alta demanda animó a los profesionales a adherirse a las especificidades de la modalidad. Refirieron haber buscado apoyo teórico y apoyo emocional para mantener los recursos internos, cognitivos y emocionales necesarios para el entorno terapéutico. Se puede concluir que los resultados resaltaron la importancia de reflexionar sobre los criterios de evaluación clínica utilizados para comprender la gravedad de los casos, sin olvidar considerar los recursos internos de los pacientes relacionados con su capacidad de sufrir, los cuales pueden identificarse cuando se mantiene la capacidad del profesional. a ensueño.

Métricas

Cargando métricas ...

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Samanta Benzi Meneghelli, Universidade Paulista

Samanta Benzi Meneghelli; Cravinhos - SP; 26 anos. Psicóloga Clínica. Graduada em Psicologia pela Universidade Paulista de Ribeirão Preto - SP (UNIP-RP), possui Aperfeiçoamento em Fundamentos da Psicanálise: Teoria, Técnica e Clínica pelo Centro de Estudos da Psicanálise de Ribeirão Preto - SP (CEPSIC) e atualmente é Pesquisadora em Saúde Mental, na área de atendimento psicológico clínico on-line e Mestranda em Práticas Institucionais em Saúde Mental. Tem experiência em atendimento clínico de orientação psicanalítica, com ênfase em desenvolvimento pessoal em adultos e atividade de preceptoria hospitalar.

Ana Paula Parada, Mestrado Profissional em Práticas Institucionais em Saúde Mental Universidade Paulista

Formada em Psicologia pela Universidade Paulista – UNIP, Mestre em Psicologia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto – USP na área de saúde/doença, e Doutora em Ciências na área de Saúde Mental pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP. Professora titular na UNIP, no curso de Graduação e Pós-Graduação de Psicologia. Supervisora de estágios na área de Psicodiagnóstico e Atuações psicológicas em contextos de saúde. Atua como psicóloga clínica com orientação psicanalítica, em atendimentos individuais para crianças, adolescentes e adultos. Em contexto clínico, realiza supervisão e grupos de estudo. Membro integrante do Instituto de Estudos Psicanalíticos (IEP) de Ribeirão Preto.

Citas

Ainsworth, M. (2002). ABC's of "Internet Therapy": e-therapy history and survey. Metanóia. https://metanoia.org/imhs/history.htm

Almondes, K. M., & Teodoro, M. L. M. (2021). Terapia on-line (1ª ed.) Hogrefe.

Antúnez, A. E., & Silva, N. H. L. P. (2021). Consultas terapêuticas on-line: na saúde mental (1ª ed.). Manole.

Barbosa, C. O. (2022). Expansão de uma Psicanálise inventiva e acessível. In R. D. Martino (Org.). Psicanálise do acolhimento: sobre a aplicabilidade na prática clínica (pp. 132-138). Vitrine Literária Editora.

Belo, F. (2020). Clínica psicanalítica on-line: breves apontamentos sobre atendimento virtual (1a. ed). Zagodoni.

Bion, W. (1973). Atenção e interpretação: uma aproximação científica à compreensão interna na psicanálise e nos grupos. Imago.

Bion, W. (1994). Estudos psicanalíticos revisados (3ª ed., W. M. de M. Dantas Trad.). Imago. (Trabalho original publicado em 1967. Título original: Second thoughts).

Bion, W. (2021). O aprender com a experiência (1ª ed., E. H. Sandler Trad.). Blucher. (Trabalho original publicado em 1962).

Botega, N. J., & Smaira, S. I. (2012). Morbidade psiquiátrica no hospital geral. In N. J. Botega (Org.), Prática psiquiátrica no hospital geral: interconsulta e emergência (pp. 31-42). Artmed.

Braun, V., & Clarke, V. (2006). Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research In Psychology, 3(2), 77-101, http://dx.doi.org/10.1191/1478088706qp063oa

Bruscato, W. L. (2006). A psicologia no hospital da misericórdia: um modelo de atuação. In W. L. Bruscato, C. Benedetti, & S. R. A. Lopes (Orgs), A prática da psicologia hospitalar na Santa Casa de São Paulo: novas páginas em uma antiga história (Cap 1, pp. 17-31). Casa do Psicólogo.

Calil, G. G. (2021). A negação da pandemia: reflexões sobre a estratégia bolsonarista. Serviço Social & Sociedade, (140), 30–47. https://doi.org/10.1590/0101-6628.236

Câmara Municipal de São Paulo. (n.d.). Informação no combate ao CORONAVÍRUS. Prevenção contra o novo coronavírus. http://www.saopaulo.sp.leg.br/coronavirus/prevencao-contra-o-novo-coronavirus/

Carvalho, L., Pires, L. N., & Xavier, L. de L. (2020). COVID-19 e desigualdade no Brasil. http://dx.doi.org/10.13140/RG.2.2.27014.73282

Castells, M. (2003). Lições da história da internet. In M. Castells (Org.), A galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade (1ª ed., pp. 13-33, M. L. X. de A. Borges Trad.). Jorge Zahar Editora.

Castro, J. A. de. (2020). Proteção social em tempos de Covid-19. Saúde em Debate, 44(spe4), 88–99. https://doi.org/10.1590/0103-11042020E405

Centro de operações de Emergência em Saúde Pública. (2020, março). Doença pelo coronavírus 2019: ampliação da vigilância, medidas não farmacológicas e descentralização do diagnóstico laboratorial. Boletim Epidemiológico. http://maismedicos.gov.br/images/PDF/2020_03_13_Boletim-Epidemiologico-05.pdf

Connolly, S. L., Miller, C. J., Lindsay, J. A., & Bauer, M. S. (2020). A systematic review of providers’ attitudes toward telemental health via videoconferencing. Clinical Psychology: Science and Practice, 27(2), e12311. https://doi.org/10.1111/cpsp.12311

Conselho Federal de Psicologia. (2018). Resolução CFP nº 11 /2018 de 11 de maio de 2018. https://atosoficiais.com.br/cfp/resolucao-do-exercicio-profissional-n-11-2018-regulamenta-a-prestacao-de-servicos-psicologicos-realizados-por-meios-de-tecnologias-da-informacao-e-da-comunicacao-e-revoga-a-resolucao-cfp-n-112012?origin=instituicao

Conselho Federal de Psicologia. (2020). Resolução CFP nº 04 /20 de 26 de março de 2020.

Correia, K. C. R., Araújo, J. L. de, Barreto, S. R. V., Bloc, L., Melo, A. K., & Moreira, V. (2023). Saúde mental na universidade: atendimento psicológico online na pandemia da Covid-19. Psicologia: Ciência e Profissão, 43, 1-16, e245664. https://doi.org/10.1590/1982-3703003245664

Cunha, M. B. da, & Mccarthy, C. (2005). Estado atual das bibliotecas digitais no Brasil. In C. H. Marcondes, H. Kuramoto, L. B. Toutain, & L. Sayão (Orgs.), Bibliotecas digitais: saberes e práticas (1ª ed., pp. 25-54). IBCT.

Dias, L. R. (2011). Inclusão digital como fator de inclusão social. In M. H. S. Bonilla & N. D. L. Pretto (Orgs). Inclusão digital: polêmica contemporânea (v. 2, pp 61-90). EDUFBA.

Donnamaria, C. P., & Terzis, A. (2011). Experimentando o dispositivo terapêutico de grupo via internet: primeiras considerações de manejo e desafios éticos. Revista da SPAGESP, 12(2), 17-26. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-29702011000200003&lng=pt&tlng=pt.

Ferenczi, S. (1992). Elasticidade da técnica psicanalítica. In S. Ferenczi, Psicanálise IV, (pp. 25-36). Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1928).

Ferracioli, N. G. M., Oliveira-Cardoso, É. A. de, Vedana, K. G. G., Pillon, S. C., Miasso, A. I., Souza, J. de, Risk, E. N., Oliveira, W. A. de, Leonidas, C., & Santos, M. A. dos. (2019). Os bastidores psíquicos do suicídio: uma compreensão psicanalítica. Vínculo, 16(1), 01-17. https://dx.doi.org/10.32467/issn.1982-1492v16n1p17-28

Ferracioli, N., & Santos, M. A. (2022). Manejo online do comportamento suicida na ótica de psicólogas(os) brasileiras(os): primeiras ponderações. Psicologia, Saúde & Doenças, 23(2), 566-573.https://doi.org/10.15309/22psd230228

Fiorillo, A., & Gorwood, P. (2020). The consequences of the COVID-19 pandemic on mental health and implications for clinical practice. European Psychiatry, 63(1), E32, http://dx.doi.org/10.1192/j.eurpsy.2020.35

Fortim, I., & Cosentino, L. A. M. (2007). Serviço de orientação via e-mail: novas considerações. Psicologia: Ciência E Profissão, 27(1), 164–175. https://doi.org/10.1590/S1414-98932007000100014

Fundação Oswaldo Cruz. Saúde Mental e Atenção Psicossocial na Pandemia COVID-19. (2020). Cartilha Saúde Mental e Atenção Psicossocial - Recomendações para Gestores. https://portalke.fiocruz.br/documento/saude-mental-e-atencao-psicossocialna-pandemia-covid-19-recomendacoes-para-gestore

Galhardi, C. P., Freire, N. P., Minayo, M. C. de S., & Fagundes, M. C. M. (2020). Fato ou fake? uma análise da desinformação frente à pandemia da Covid-19 no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 25(suppl 2), 4201–4210. https://doi.org/10.1590/1413-812320202510.2.28922020

Green, D. (2006). Ground rules in online psychotherapy. (Doctoral thesis, Part One, Not published), City, University of London. https://openaccess.city.ac.uk/id/eprint/8508/

Greve, J. M. D., Brech, G. C., Quintana, M., Soares, A. L. de S., & Alonso, A. C. (2020). Impacts of Covid-19 on the immune, neuromuscular, and musculoskeletal systems and rehabilitation. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 26(4), 285–288. https://doi.org/10.1590/1517- 869220202604ESP002

Hallal, P. C. (2020). Resistência e resiliência em tempos de pandemia. Ciência & Saúde Coletiva, 25(9), 3342–3342. https://doi.org/10.1590/1413-81232020259.20312020

Klein, M. (1997). A psicanálise de crianças (L. P. Chaves, Trad.). Imago. (Trabalho original publicado em 1932).

Lacaz, F. A. de C., Reis, A. A. C. dos, Lourenço, E. Â. de S., Goulart, P. M., & Trapé, C. A. (2019). Movimento da reforma sanitária e movimento sindical da saúde do trabalhador: um desencontro indesejado. Saúde em Debate, 43(spe8), 120–132. https://doi.org/10.1590/0103-11042019S809

Lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial da União. https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm

Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018. Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Diário Oficial da União. https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/l13709.htm

Levi-Belz, Y., Barzilay, S., Levy, D., & David, O. (2019). To treat or not to treat: the effect of hypothetical patients' suicidal severity on therapists' willingness to treat. Archives of Suicide Research, 24(3), 355-366. https://doi.org/10.1080/13811118.2019.1632233

Lévy, P. (1999). A infra-estrutura técnica do virtual. In P. Lévy (Org.), Cibercultura (1ª ed., pp. 29-44, C. I. da Costa Trad.). Editora 34.

Lévy, P. (2011). O que é o virtual?. (2ª ed., P. Neves Trad.). Editora 34.

Lima, C. M. A. de O. (2020). Information about the new coronavirus disease (COVID-19). Radiologia Brasileira, 53(2), V–VI. https://doi.org/10.1590/0100-3984.2020.53.2e1

Lima, R. C. (2019). The rise of the psychiatric counter-reform in Brazil. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 29(1), e290101. https://doi.org/10.1590/S0103-73312019290101

Lüdke, M., & André, M. E. D. A. (1986). A análise documental. In M. Lüdke & M. E. D. A. André (Orgs.). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas (1ª ed., pp. 38-44). Editora Pedagógica e Universitária.

Malta, D. C., Szwarcwald, C. L., Barros, M. B. de A., Gomes, C. S., Machado, Í. E., Souza Jr, P. R. B. de ., Romero, D. E., Lima, M. G., Damacena, G. N., Pina, M. de F., Freitas, M. I. de F., Werneck, A. O., Silva, D. R. P. da ., Azevedo, L. O., & Gracie, R. (2020). A pandemia da COVID-19 e as mudanças no estilo de vida dos brasileiros adultos: um estudo transversal, 2020. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 29(4), e2020407. https://doi.org/10.1590/S1679-49742020000400026

Martino, R. D. (2023, Maio 29). Perceber, reconhecer, respeitar, responsabilizar-se, transformar - Prof. Renato Dias Martino [Vídeo]. YouTube. https://youtu.be/EzgWZZ4YXFQ?si=kwqVO8IIb05K9jh-

Meneghelli, S. B., & Balieiro, M. C. (2020). A escuta da ausência. In V. Fondo, & G. Sironi (Eds.), [Apresentação de trabalho]. Fronteiras 33º Congresso Latinoamericano de Psicanálise (1a. ed., Cap. 50, 558-560). Virtual. http://montevideo2020.fepal.org/#libro

Ministério da Saúde. (2019). Nota Técnica Nº 11 de 4 de fevereiro de 2019. Esclarecimentos sobre as mudanças na Política Nacional de Saúde Mental e nas Diretrizes da Política Nacional sobre Drogas. Diário Oficial da União. https://pbpd.org.br/wp-content/uploads/2019/02/0656ad6e.pdf

Ministério da Saúde. (2020). Coronavírus: Brasil confirma primeiro caso da doença. Sistema Universidade Aberta do SUS. https://www.unasus.gov.br/noticia/coronavirus-brasilconfirma-primeiro-caso-da-doenca

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. (14ª ed.). Hucitec.

Morigi, V. J., & Pavan, C. (2004). Tecnologias de informação e comunicação: novas sociabilidades nas bibliotecas universitárias. Ciência da Informação, 33(1), 117–125. https://doi.org/10.1590/S0100-19652004000100014

Ong, W. J. (2002). Writing is a technology . In W. J. Ong (Org.), Orality & literacy: orality & literacy the technologizing of the word (1ª ed., pp. 80-82). Routledge.

Parkes, C. M. (1998). Obtendo uma nova identidade. In C. M. Parkes. Luto: estudos sobre a perda na vida adulta (3ª ed., pp. 113-119, M. H. F. Bromberg, Trad.). Summus Editorial.

Pieta, M. A. M., & Gomes, W. B. (2014). Psicoterapia pela Internet: viável ou inviável?. Psicologia: Ciência E Profissão, 34(1), 18–31. https://doi.org/10.1590/S1414-98932014000100003

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. (n.d.). Clínica Psicológica Ana Maria Poppovic. JANUS - Laboratório de Estudos de Psicologia d Tecnologias da Informação d Comunicação. https://www.pucsp.br/clinica/orientacaoonline_janus.html

Portaria n.º 2.546/2011 do Ministério da Saúde. Redefine e amplia o Programa Telessaúde Brasil, que passa a ser denominado Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes (Telessaúde Brasil Redes). Diário Oficial da União. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2546_27_10_2011.html

Portaria n.º 402/2010 do Ministério da Saúde. Institui, em âmbito nacional, o Programa Telessaúde Brasil para apoio à Estratégia de Saúde da Família no Sistema Único de Saúde, institui o Programa Nacional de Bolsas do Telessaúde Brasil e dá outras providências. Diário Oficial da União. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2010/prt0402_24_02_2010_comp.html

Proposta de Emenda Constitucional nº 95 de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Diário Oficial da União. https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm

Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. (2020). Nossa história. https://www.rnp.br/sobre/nossa-historia#:~:text=A%20RNP%20foi%20criada%20em,uso%20de%20redes%20no%20pa%C3%ADs

Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. (2022). Programa Telessaúde Brasil Redes. https://www.rnp.br/inovacao/solucoes/telessaude-brasil-redes

Reis, D. O., Araújo, E. C. de, & Cecílio, L. C. de O. (2006). Políticas públicas de saúde no Brasil: SUS e pactos pela saúde. Módulo Político Gestor. [Especialização em Saúde da Família pela Universidade aberta do Sistema Único de Saúde]. https://www.unasus.unifesp.br/biblioteca_virtual/esf/1/modulo_politico_gestor/Unida de_4.pdf

Romero, L. C. P., & Delduque, M. C. (2017). O congresso nacional e as emergências de saúde pública. Saúde e Sociedade, 26(1), 240–255. https://doi.org/10.1590/S0104- 12902017156433

Seixas, R. L. da R. (2020). Da biopolítica a necropolítica e a racionalidade neoliberal no contexto do COVID-19. Voluntas: Revista Internacional de Filosofia, 11(e50), 1-11 https://doi.org/10.5902/2179378643939

Shigemura, J., Ursano, R. J., Morganstein, J. C., Kurosawa, M., & Benedek, D. M. (2020). Public responses to the novel 2019 coronavirus (2019‐nCoV) in Japan: mental health consequences and target populations. Psychiatry And Clinical Neurosciences, 74(4), 281-282.http://dx.doi.org/10.1111/pcn.12988

Siegmund, G., & Lisboa, C. (2015). Orientação psicológica on-line: percepção dos profissionais sobre a relação com os clientes. Psicologia: Ciência e Profissão, 35(1), 168–181. https://doi.org/10.1590/1982-3703001312012

Silva, A. B., & Moraes, I. H. S. de. (2012). O caso da Rede Universitária de Telemedicina: análise da entrada da telessaúde na agenda política brasileira. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 22(3), 1211–1235. https://doi.org/10.1590/S0103-73312012000300019

Silva, P. V. da. (2017). Estamos disponíveis ao encontro?. SIG: Revista de Psicanálise, 6(2), 85-86. https://sig.org.br/bkp/wp-content/uploads/2019/02/Edicao11-Completa.pdf

Sousa, C. R. de M. (2021). A pandemia da COVID-19 e a necropolítica à brasileira. Revista de Direito, 13(01), 01–27. https://doi.org/10.32361/2021130111391

Souza, V. B., Silva, N. H. L. P., & Monteiro, M. F. (2020). Psicoterapia on-line: manual para a prática clínica (1ª ed.). Ed. das Autoras.

The Cornell Daily Sun. (2012, 29 novembro). Dear uncle Ezra shuts down temporarily, citing need to adapt to web. https://cornellsun.com/2012/11/29/dear-uncle-ezra-shuts-down-temporarily-citing-need-to-adapt-to-web

The Lancet. (2020). COVID-19: protecting health-care workers. The Lancet, 395(10228), 922. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30644-9

Viana, D. M. (2020). Atendimento psicológico online no contexto da pandemia de Covid-19: online psychological care in the context of covid’s pandemic 19. Cadernos ESP, 14(1), 74-79. https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/399

Vernon, M. (2003, 7 outubro). Uncle Ezra remains C.U.'s secret advisor. The Cornell Daily Sun. https://cornellsun.com/2003/10/07/uncle-ezra-remains-c-u-s-secret-advisor

Whitaker, R. (2020). O impacto psicológico da pandemia: contra a patologização de nosso sofrimento. In Amarante, P., Amorim, A., Guljor, A. P., Silva, J. P. V. da, & Machado, K. (Orgs.). O enfrentamento do sofrimento psíquico na pandemia: diálogos sobre o acolhimento e a saúde mental em territórios vulnerabilizados (23ª ed., pp 28-31). IdeiaSUS/Fiocruz; Laps/Ensp/Fiocruz; Abrasme. https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/handle/icict/48838/cap.pdf?sequence=2&isAllowed=y

Winnicott, D. W. (1971). Playing and reality. Tavistock

Winnicott, D.W. (1999). Tipos de psicoterapia. In C. Winnicott, R. Shepherd, & M. Davis (Eds.), Tudo começa em casa (3ª ed., pp. 93-103, P. Sandler, Trad.). Martins Fontes.

World Health Organization. (n.d.). Coronavirus disease (COVID-19). Health topics. https://www.who.int/health-topics/coronavirus#tab=tab_1

Publicado

2024-03-05

Cómo citar

Benzi Meneghelli, S., & Parada, A. P. (2024). Caracterización de la demanda de atención psicológica en la pandemia. Prometeica - Revista De Filosofía Y Ciencias, 29, 244–261. https://doi.org/10.34024/prometeica.2024.29.16247

Número

Sección

Artículos - Dosier

Artículos similares

> >> 

También puede {advancedSearchLink} para este artículo.

Artículos más leídos del mismo autor/a