Educação Ambiental para a gestão de recursos hídricos

Autores

  • Guilherme Henrique Rodrigues de Assis UNIFEI - Universidade Federal de Itajubá
  • Eliane Maria Vieira UNIFEI - Universidade Federal de Itajubá
  • Anderson de Assis Morais UNIFEI - Universidade Federal de Itajubá

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2024.v19.16087

Palavras-chave:

Água. Meio ambiente. Sustentabilidade.

Resumo

: No contexto das práticas educativas nos recursos hídricos, a busca pelo desenvolvimento sustentável destaca-se como estratégia para viabilizar atividades econômicas sem exaurir os recursos naturais. A Educação Ambiental (EA) assume um papel importante nesse cenário, auxiliando a promover uma gestão sustentável dos recursos hídricos. A gestão dos recursos hídricos torna-se necessária diante dos desafios relacionados à água, exigindo uma abordagem sistêmica que incorpore o homem como parte integrante do meio ambiente. Com isso, a EA surge como um eixo orientador para ajustar as atividades humanas, evitando a degradação dos ecossistemas. Essa abordagem destaca a importância da preservação dos recursos hídricos e de seu uso sustentável como um objetivo fundamental da EA, ultrapassando as fronteiras disciplinares para abordar os impactos antropogênicos de forma abrangente. Assim, a Educação Ambiental emerge como um componente essencial para sensibilizar as pessoas sobre a importância da gestão sustentável dos recursos hídricos, guiando práticas que buscam uma relação harmoniosa entre as necessidades presentes e a preservação do meio ambiente. Neste contexto o presente trabalho, realizado por meio de uma pesquisa bibliográfica apresentada as diretrizes brasileiras relacionadas à Educação Ambiental e a tendência de direcionamento desta frente aos cenários atuais, bem como a estrutura de gestão dos recursos hídricos no Brasil. Também abordada a importância da qualidade da água como consequência das ações antrópicas e indicadora da efetividade da implementação da Educação Ambiental, passando-se para discussão da EA como ferramenta na busca da sustentabilidade e pôr fim a apresentação de algumas práticas de EA relacionadas aos recursos hídricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALCÂNTARA, L. A.; SILVA, M. C. A.; ARAÚJO, R. K.; NISHIJIMA, T. Práticas de Educação Ambiental na Gestão de Recursos Hídricos. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 5, n. 5, p. 741-748, 2012.

ALMEIDA, A. G.; CARVALHO, L. R.; ALVES, F. Q.; ADRY, A. P.; SANTINI, A. C.; ALELUIA, M. M. Análise microbiológica e físico-química da água de bebedouros em unidades de ensino no município de Ilhéus-BA. Revista de Saúde e Biologia, Paraná, v. 12, n. 2, p.20-26, 2018.

ALMEIDA, J. PREMEBIDA, A. Histórico, relevância e explorações ontológicas da questão ambiental. Sociologias, Porto Alegre, v. 16, n. 35, p. 14-33, 2014.

ANA - Agência Nacional de Água. Cadernos de capacitação em recursos hídricos: Cobrança pelo uso de recursos hídricos / Agência Nacional de Águas. Volume 4. Brasília: SAG, 2014.

APPOLINÁRIO, F. Metodologia da ciência: filosofia e prática da pesquisa. São Paulo: Pioneira, 2006.

AUGUSTO, L.G. GURGEL, I.G.D. CÂMARA NETO, H.F. MELO, C.H. COSTA, A.M. O contexto global e nacional frente aos desafios do acesso adequado à água para consumo humano. Ciência saúde coletiva; n. 17, v. 6, p. 1511-1522, 2012.

BARBETTA, P. A. Estatística Aplicada às Ciências Sociais. Florianópolis: Editora da UFSC, 1998.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, art. 225, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 18 de outubro de 2023.

BRASIL. Lei n° 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília, DF, 1999. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>.Acesso em: 01 de novembro de 2023.

BRASIL. Resolução CNE/CP 2/2012, 18 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Conselho Pleno. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental.

BRAZ, M. G.; DUARTE, A. P. BOTTINO, F. Rios urbanos: percebendo a importância por meio da Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 17, n. 4, p. 113-127, 2022.

BIGLIARDI, R. V.; CRUZ, R. G. O papel da Educação Ambiental frente à crise civilizatória atual. Ambiente & Educação, v. 12, p. 127-141, 2014.

BORINELLI, B. Problemas ambientais e os limites da política ambiental. Revista Serviço Social. Londrina, v. 13, n.2, 66 p. 63-84, 2011.

BUENO, R.L.; ARRUDA, R.A. Educação Ambiental. Revista Eventos Pedagógicos, v.4, n.2, p. 182 - 190, 2013.

CARVALHO, I. M. Educação Ambiental: formação do sujeito ecológico. 5. Ed. São Paulo; Cortez: 2011.

CHACON-PEREIRA, A. et al. Educação Ambiental na gestão de recursos hídricos baseada no modelo de licenciamento ambiental. Revista de Desenvolvimento e Meio Ambiente, UFPR, v. 49, p.36-59, 2018.

CNHR. Resolução de nº 98 de 26 de março de 2009. Estabelece princípios, fundamentos e diretrizes para a educação, o desenvolvimento de capacidades, a mobilização social e a informação para a Gestão Integrada de Recursos Hídricos no Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Disponível em: <https://www.ceivap.org.br/ligislacao/Resolucoes-CNRH/Resolucao-CNRH%2098.pdf>. Acesso em: 20 de outubro de 2023.

CORREA, M.P. SILVA, J.A.F. Centro didático-pedagógico para o gerenciamento integrado de resíduos sólidos: estudo de caso para avaliação de viabilidade no Instituto Federal Fluminense - Campus Macaé, RJ-Brasil. Revista Holos, v. 6, p. 415-431, 2015.

CUNHA, LUIZ VEIGA D., Gestão das Águas: Principais Fundamentos e sua Aplicação em Portugal. Fundação Caloustre Gulbenklan. 1982.

GAMA, A.F.; OLIVEIRA, A.H.B.; CAVALCANTE, R.M. Inventário de agrotóxicos e risco de contaminação química dos recursos hídricos no semiárido cearense. Revista Química Nova, v. 36, n. 3, p.462-467, 2013.

GONÇALVES, A.C.G.; DIAS, C.M.S.; MOTA, M.R.A. Alargamento das funções da escola: Educação Ambiental e sustentabilidade. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, v. 16, n. 3, p. 551-569, 2014.

GUIMARÃES, M. Por uma Educação Ambiental crítica na sociedade atual. Revista Margens Interdisciplinar, v. 7, n. 9, p. 11-22, 2013.

HALAL, C. Y. Ecopedagogia: uma nova educação. Revista de Educação, v. 12, n. 14, p. 87-103, 2015.

LEAL, M. S. Gestão ambiental de recursos hídricos: princípios e aplicações. Rio de Janeiro: CPRM, 1998.

LOUREIRO, C. F. B.; GOMES, G. F. A resolução nº 98/2009 do conselho nacional de recursos hídricos e a Educação Ambiental para a gestão das águas. Diálogo, n. 8, p. 1-11, 2011.

MELO, J.G.F; SILVA, E.R.A.C.; ASSIS, D.R.S. Avaliação dos impactos ambientais na Lagoa do Araçá, Recife, Pernambuco, Brasil. Acta Brasiliensis, v. 2, n. 1, p. 6-10, 2018.

OBARA, A.T.; KOVALSKI, M.L. Educação Ambiental na gestão das bacias hidrográficas. Boletim ABLimno, v. 42, n. 1, p. 14-19, 2016.

OBARA, A. T.; KOVALSKI, M. L.; REGINA, V. B.; RIVA, P. B.; HIDALGO, M. R.; GALVÃO, C. B.; TAKAHASHI, B. T. Educação Ambiental para a gestão sustentável das bacias hidrográficas dos rios Pirapó, Paranapanema III e Paranapanema IV. Brazilian Journal of Biology, v. 75, n.4, p. 137-147, 2015.

OLIVEIRA E. J. C.; TEOTÔNIO, L. E. O.; DE SOUZA JÚNIOR, D. L.; MARQUES A. E. F. Análise físico-química e microbiológica da água de bebedouros de escolas municipais na cidade de Jardim–Ceará. Visão Acadêmica, Curitiba, v. 20, n. 1, p: 55-67, 2019.

OLIVEIRA, A. N.; DOMINGOS, F. O.; COLASANTE, T. Reflexões sobre as práticas de Educação Ambiental em espaços de educação formal, não-formal e informal. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v.15, n.7, p. 09-19, 2020.

PEREIRA, F.A. Educação Ambiental e interdisciplinaridade: avanços e retrocessos. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium, Ituiutaba, v. 5, n. 2, p. 575-594, 2014.

PICCOLI, A. S.; KLIGERMAN, D. C.; COHEN, S. C.; ASSUMPÇÃO, R. F. A Educação Ambiental como estratégia de mobilização social para o enfrentamento da escassez de água. Revista Ciência e Saúde, v.21, n,3, 797-808, 2016.

POLI, A.; SIGNORINI, T. Inserção da Educação Ambiental na Prática Pedagógica. Ambiente & Educação, v. 17, n. 2, 2012.

POLLI, G.M. KUHNEN, A. Representações Sociais da Água e Tecnologias Sociais. Revista Psico, v. 44, n. 1, p. 103-113, 2013.

RODRIGUES, A.R.S. Educação Ambiental em tempos de transição paradigmática: entrelaçando saberes “disciplinados”. Revista Ciência e Educação Bauru, v. 20, n. 1, p. 195-206, 2014.

ROSS, J. L. S. Análise Empírica da Fragilidade dos Ambientes Naturais e Antropizados. Revista do Departamento de Geografia. São Paulo: FFLCH-USP, n°8, 1994.

SANTANA, A.C.FREITAS D.A.F. Educação Ambiental para a conscientização quanto ao uso da água. Rev. eletrônica Mestrado em Educação Ambiental, v. 28,p.178- 188, 2012.

SANTOS, E.; FOFONKA, L. Percepção Ambiental e Educação Ambiental: o uso de mapas mentais. Revista Maiêutica, Indaial, v. 3, n. 1, p. 17-24, 2015.

SILVA FILHO, E. P.; CAMAROTTI, M. F. A Educação Ambiental no desenvolvimento da sociedade: um olhar através dos contextos social e legal. Educação Ambiental em Ação, v. 1, p. 1-11, 2015.

VALÊNCIO, N. F. L. S. Desastres: tecnicismo e sofrimento social. Ciência & Saúde Coletiva, n. 19, v. 9, p. 3631-3644, 2014.

VEIGA, B. G. A.; MALAFAIA, G. & CASTRO, A. L. S. Educação Ambiental e Gestão dos Recursos Hídricos: subsídios para uma reflexão integrada. Braz. J. Aquat. Sci. Technol., v. 17, n. 1, p. 1-11, 2013.

ZERWES, B.; SECHI, M.; CALDEIRAN, D.; BORTOLI, J.; TONETTO, J. F.; TOLDIM, M.; OLIVEIRA, E. C.; SANTANA, E. R. R. Análise da qualidade da água de poços artesianos do município de Imigrante, Vale do Taquari/RS. Ciência e Natura, Santa Maria, v. 37, n. 3, 2015.

Downloads

Publicado

01-06-2024

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2024-01-04
Aceito: 2024-04-17
Publicado: 2024-06-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.