Marés de mudança: Educação Ambiental crítica no Ensino Médio Integrado em Pesca

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2024.v19.16345

Palavras-chave:

Ambiente Marinho e Costeiro, Educação Profissional, ODS 14, Pesca Sustentável, Resíduos Sólidos

Resumo

O presente estudo abordou a implementação da Educação Ambiental Crítica no Ensino Médio Integrado em Pesca. Realizado na Praia da Lagoa da Volta, Acaraú, Ceará, contou com a participação de alunos, professores, Secretaria de Meio Ambiente e comunidade local. Utilizou-se uma sequência didática com aulas teóricas e práticas, incluindo atividades de campo e discussões. A Educação Ambiental crítica enriqueceu o currículo, formando cidadãos e profissionais comprometidos com a sustentabilidade. Os alunos identificaram impactos antrópicos, promovendo a troca de conhecimentos e a reflexão sobre esses impactos no ambiente costeiro e marinho, com implicações para a pesca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACARAÚ. Lei Municipal no 1.929, de 29 de março de 2022. Institui como políticas públicas municipais a promoção da cultura oceânica e a preservação dos manguezais na rede de ensino do município de Acaraú. Acaraú: Câmara Municipal, 2022. Disponível em: <https://www.acarau.

AIKENHEAD, G. S. What is STS science teaching? In: SOLOMON, J.; AIKENHEAD, G. (Eds.). STS Education: international perspectives on reform. New York: Teachers College Press, 1994. p. 47-59.

ALBUQUERQUE, R. M. V. L.; MAIA, R. C. Educação Ambiental para o ecossistema manguezal: uma intervenção no ambiente escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.16, n.6, 2021, p.263–284.

ALBUQUERQUE, R. M. V. L.; MAIA, R. C.; BRANDÃO, A. L. R. O uso de memes na Educação Ambiental para o ecossistema manguezal. Educação, Cultura e Comunicação, v. 13, n. 25, 2022.

ALBUQUERQUE, R. M. V. L; FARIAS, E. M. N.; MAIA, R. C. Educação Ambiental para o ecossistema manguezal: o papel dos pescadores artesanais. Conexões - Ciência e Tecnologia, v. 9, n. 3, aug. 2015.

ALBUQUERQUE, R., SANTOS, M.; MAIA, R. Estratégias para Educação Ambiental sobre o ecossistema manguezal na Educação Básica. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.16, n.5, 2021, p.115–133.

ALFONSI, LÍVIA ESSI; SILVA, LOURO FERREIRA; ROSANA. Roda de conversa: potencial para a Educação Ambiental crítica no Ensino Fundamental II. Enseñanza de las ciencias: revista de investigación y experiencias didácticas, 2017, n.º Extra, pp. 3225-3230.

BARRADAS, J. I. Os oceanos como instrumento de Educação Ambiental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 11, n. 2, p. 24–33, 2020.

BRASIL. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2005. Encontros e caminhos: formação de educadoras(es) ambientais e coletivo educadores. Diretoria de Educação Ambiental. ISBN 85-7300-200-X.

BRASIL. Lei nº 11.892, 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 30 de dezembro de 2008.

BRASIL. Regulamenta no âmbito federal, dispositivos da Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999, que dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 27 de abril de 1999.

CABRAL, L. M.; BALOCHINI, V. C. Aplicação de uma trilha interpretativa como ferramenta de Educação Ambiental. Rev. Ciênc. Ext. v.17, p.415-421, 2021.

COSTA, T. M.; CORDEIRO, C. A. M. M. Evaluation of solid residues removed from a mangroves swamp in the São Vicente Estuary, SP, Brazil. Marine Pollution Bulletin, São Paulo, n. 60, p. 1762-1767, 2010.

DERRAIK, J. G. B. The pollution of the marine environment by plastic debris: a review. Marine Pollution Bulletin, n. 44, p. 842-852, 2002.

DUTRA, K. A. A; MAIA, R. C. Caracterização dos microplásticos encontrados na zona entremarés do parque nacional de Jericoacoara, Ceará, Brasil. Arquivo de Ciências do Mar, Fortaleza, v. 55, n.2, p. 154-159, 2022.

FREIRE, P. (1974). Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra. Disponível em: <https://abrir.link/mVOjM>.

GUATTARI, F. (1992). As três ecologias. 11ª edição - 2001. Campinas: Papirus. ISBN 85-308-0106-7.

HATJE, V. et al. Pollutants in the South Atlantic Ocean: sources, knowledge gaps and perspectives for the Decade of Ocean Science. Frontiers in Marine Science, v. 8, 2021. Disponível em: <https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fmars.2021.644569/full>.

HONÓRIO, A. C., LEITE, R. C. M.; LIMA, J. Q. “Mas eles só constroem coisas!”: Educação Ambiental Crítica para o curso Técnico Integrado em Edificações. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.16, n.3, 2021, p.185–206.

LIMA, G. F. C. Educação Ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 145-163, 2009.

OLIVEIRA, J. R. DE, FREITAS JÚNIOR, J. A. DE.; CARDOSO, O. Educação Ambiental: o uso de redes sociais e aplicativos educacionais. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.18, n.3, 2023, p.218–231.

ONU – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Progress towards the Sustainable Development Goals – report of the secretary-general. Economic and Social Council, 2016. Disponível em: <https://bit.ly/2ZepU79>

PEDRINI, A. de G. (Org.) Educação Ambiental Marinha e Costeira no Brasil. Rio de Janeiro: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2010.

PETROBRÁS. Projeto de Monitoramento do Desembarque Pesqueiro Regional da Bacia do Ceará. Unidade de Negócios de Exploração e Produção do Rio Grande do Norte e Ceará – UM – RNCE. Resultados – 2021.

POSHAR, A. A influência estética dos cartazes artísticos na publicidade moderna. dez. 2007. Disponível em: <http://www.insite.pro.br/2007/52.pdf>.

PRATES, A. P. L.; GONÇALVES, M. A.; ROSA, M. R. Panorama da conservação dos ecossistemas costeiros e marinhos no Brasil. Brasília: MMA, 2012. 152 p. Disponível em: <https://www.terrabrasilis.org.br/ecotecadigital/images/abook/pdf/2016/15-Panorama%20da%20Conservao.pdf>.

PURCA, S; HENOSTROZA, A. Presencia de microplásticos en cuatro playas arenosas de Perú. Revista Peruana de Biología. vol.24, 2017.

QUEIROZ, L. N. DE; MAIA, R. C. Ecomangueando: um aplicativo de Educação Ambiental sobre os manguezais. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.18, n.5, 2023, p.297–313.

REIS, M. Pesquisa-ação: compartilhando saberes. Pesquisa e ação educativa ambiental. Vol. 3, n. 1 – pp. 155-169, 2008.

ROCHA-SANTOS, T.; DUARTE, A. C. A critical overview of the analytical approaches to the occurrence, the fate and the behavior of microplastics in the environment. TrAC Trends in Analytical Chemistry, v. 65, p. 47- 53, 2015.

RODRIGUES, J. A, M.; SANTOS, M. R.; MAIA, R. C. Study of imposex in the gastropod Stramonita brasiliensis (Claremont; Dg Reid, 2011) in the municipalities of Acaraú and Itarema, west coast of Ceará, Brazil. Arquivos de Ciências do Mar, v.53 n.1, 2020, p.126 – 133.

SANTANDER, R.; OBARA, A. T. Trilhas interpretativas e Educação Ambiental em um Jardim Botânico do Estado do Paraná. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.17, n.4, 2022. P.481–501.

SANTOS, M. R. DOS.; MAIA, R. C. Imposex in Stramonita brasiliensis (Mollusca: Gastropoda) in port terminal of ceará: environmental assessment and perception. Revista AIDIS De Ingeniería Y Ciencias Ambientales. Investigación, Desarrollo Y práctica, v.16, n.3, 2023, p.1013–1029.

SILVA, A. S. DA; DUTRA, K. A. A.; MAIA, R. C. Percepção e Educação Ambiental com os usuários da Praia de Arpoeiras, Acaraú (CE). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.16, n.3, 2021, p.101–116.

SILVA, E. L.; MARCONDES, M. E. R. Materiais didáticos elaborados por professores de Química na perspectiva CTS: uma análise das unidades produzidas e das reflexões dos autores. Ciência e Educação, Bauru, v. 21, n. 1, p. 65-83, 2015.

SILVA, R. J; MAIA, R. C. Efetividade de ações práticas de Educação Ambiental para o ecossistema manguezal no ensino fundamental. Conexões Ciência e Tecnologia, Fortaleza/CE, v. 14, n. 4, p. 95 - 106, 2020.

SOARES, M.O.; FEITOSA, C.V.; GARCIA, T.M.; COTTENS, K.; VINICIUS, B.; PAIVA, S.V.; DUARTE, O.; GURJÃO, L., et al., 2022. Lionfish on the loose: Pterois invade shallow habitats in the tropical southwestern Atlantic. Front. Mar. Sci. Disponível em: <https://doi.org/10.3389/fmars.2022.956848>.

SOBRINHO, M.A.M; ANDRADE, A. C. O desafio da conservação de manguezais em áreas urbanas: identificação e análise de conflitos socioambientais no Manguezal do Pina - Recife - PE – Brasil. Unimontes Científica, Montes Claros, n. ½, v. 11, p. 8-16, 2009.

SOUZA, G. S.; MACHADO, P. B.; REIS, V. R.; SANTOS, A. S.; DIAS, V. B. Educação Ambiental como ferramenta para o manejo de resíduos sólidos no cotidiano escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.8, n.2, 2014, p.118–130.

SOUZA, K. N. S.; MAIA, R. M. Análise ambiental de manguezais no Ceará por meio da caracterização dos resíduos sólidos presentes nestes ambientes costeiros. In: MATOS, F. O. et al. Educação Ambiental: olhares e saberes. Campinas, SP: Pontes, 2019.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-ação. S. Paulo: Cortez Ed., 2005.

TONI, K. R. DE; FONSECA, A. L. D. O.; KOEPPE, C. H. B.; CREMER, M. J. O espaço escolar e seu potencial de desenvolvimento da Educação Ambiental marinha e costeira: a visão da supervisão escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.18, n.4, 2023, p.438–460.

UNESCO – UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION. The science we need for the ocean we want: the United Nations Decade of Ocean Science for Sustainable Development (2021-2030). Paris: IOC, 2020. Disponível em: <https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265198>.

VIANA, J. P. Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável: o que mostra o retrato do Brasil? Brasília: Ipea, 2019. Disponível em: <https://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/9350>.

ZIESMANN, C. I.; BAUMGRATZ, C. E.; BATISTA, T. P.; PAULETTI, E. DA S. Rodas de conversas e oficinas pedagógicas: uma possível estratégia para sensibilizar e refletir sobre a Educação Ambiental. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v.12, n.1, p. e6076 2022

Downloads

Publicado

01-06-2024

Como Citar

Maia, R. C., & Silva, G. G. N. (2024). Marés de mudança: Educação Ambiental crítica no Ensino Médio Integrado em Pesca. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 19(3), 179–194. https://doi.org/10.34024/revbea.2024.v19.16345

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido: 2024-02-17
Aceito: 2024-04-08
Publicado: 2024-06-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.